Alimentação Saudável 04 de Dezembro de 2013

Vilão ou mocinho? Conheça os benefícios e malefícios do colesterol


Mosaico com frutas, legumes e verduras.

Apesar da fama de vilão, o colesterol possui importantes funções no organismo. Esse lipídio, por exemplo, é imprescindível na formação do tecido do cérebro e na fabricação da bile, substância essencial no processo digestivo. Ele também é fundamental na produção dos hormônios esteroides, responsáveis pelas características sexuais desenvolvidas na puberdade.

Por que o colesterol é tão mal visto pela maioria das pessoas?

A resposta está no LDL, popularmente conhecido como “mau colesterol”. Em excesso, ele deposita-se nas artérias para iniciar a formação de placas de gordura, ocasionando a obstrução desses vasos. Como consequência, temos infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral (AVC) e doenças obstrutivas periféricas.

Em contrapartida, o HDL – ou “bom colesterol” – tem a missão de recolher o excesso de colesterol do sangue, levando-o para ser absorvido no fígado e evitando o entupimento dos vasos sanguíneos, doença conhecida como aterosclerose. Entretanto, se o excesso de LDL é nocivo ao corpo humano, níveis de HDL muito reduzidos (abaixo de 40 mg/dl) também são bastante prejudiciais e estão associados a maior risco para doenças ateroscleróticas.

Mantenha o equilíbrio

Os níveis de HDL e LDL no sangue devem ser controlados por todos. Alguns grupos, no entanto, merecem atenção especial: homens com mais de 45 anos, mulheres após a menopausa, fumantes, hipertensos, sedentários, obesos e todos aqueles que tiverem histórico de doença coronária prematura na família. Além de fatores genéticos e maus hábitos alimentares, algumas doenças como diabetes e hipotireoidismo também contribuem para o aumento do colesterol.

“No ser humano, o colesterol pode ser derivado de fontes endógenas e exógenas”, afirma a endocrinologista Dra. Mônica Albano. Segundo a médica, isso significa que aproximadamente 85% do colesterol circulante é fabricado pelo próprio organismo e 15% é proveniente da dieta. Desta forma, para manter o colesterol em níveis equilibrados são necessários cuidados com a alimentação, prática regular de atividade física e – em alguns casos – uso de medicamentos.

Por ser uma gordura de origem exclusivamente animal, o colesterol é encontrado em carnes, ovos, leite e derivados. Isso não significa, porém, que esses alimentos devam ser banidos da dieta, mas, sim, controlados. De acordo com a Dra. Mônica Albano, alimentos ricos em gordura saturada e gordura trans também promovem o aumento do colesterol, e seu consumo em excesso é desaconselhado. Biscoitos recheados, sorvetes cremosos, azeite de dendê e maionese são exemplos de alimentos que devem ser evitados.

Como controlar?

Existem alguns alimentos que ajudam no controle do colesterol, contribuindo para o aumento do HDL e a queda do LDL. São:

  • fibras  (encontradas em produtos integrais, frutas e legumes);
  • azeite;
  • soja;
  • abacate;
  • peixes (sardinha e salmão).

Em relação à prática de exercícios, a atividade física aeróbica é bastante eficaz na melhora dos níveis de colesterol sanguíneo, aumentando os níveis do bom colesterol e reduzindo os índices do colesterol ruim.

Criança brincando de apertar o nariz do pai


Compartilhe nas redes sociais:
Rodapé da página.