Cuidar de Você 04 de Setembro de 2018

Você sabe o que é Mama Densa? Entenda agora sua relação com o Câncer de Mama


Muitas vezes, identificamos sintomas em nosso corpo e já assimilamos a doenças comuns. É o caso da mama densa. Se você deseja saber mais sobre este sintoma, quais são os riscos para sua saúde, além de como diagnosticá-lo e preveni-lo, é só continuar a leitura!

Médica analisando mamografia de paciente

Entenda o que é mama densa

As mamas são constituídas por vários tipos de tecido, entre eles gordura (tecido adiposo) e o tecido fibroglandular (onde há as estruturas que produzem o leite materno). Uma mulher jovem apresenta, geralmente, mamas com predomínio do tecido fibroglandular em relação à gordura mamária.

Ao longo dos anos, a mama feminina apresenta um processo de redução do componente fibroglandular, com lipossubstituição progressiva. Esse processo é natural do corpo feminino e acelera-se principalmente após a chegada dos filhos e amamentação. As mulheres idosas apresentam tipicamente mamas lipossubstituídas – denominação das mamas com predominância de gordura.

A mama densa caracteriza-se pela maior proporção de tecido fibroglandular nos seios em relação ao tecido gorduroso. E, apesar de ser mais comum em pacientes jovens, pode ser observada em mulheres de idade mais avançada, também. Principalmente em mulheres que nunca engravidaram e amamentaram, mulheres obesas ou entre as que fazem uso de hormônios, como anticoncepcionais ou tratamento de sintomas após a menopausa.

Como diagnosticar a mama densa?

Um exame de palpação (toque) nas mamas pode dar indícios de que a mama seja densa. Frequentemente, mulheres com este tipo de mama apresentam o seio com consistência mais firme ao toque, e a ptose (queda) mamária não é muito acentuada.

No entanto, a maneira ideal para identificação da mama densa é a mamografia. Nela, observa-se claramente a distinção entre gordura e tecido fibroglandular, onde a gordura se apresenta mais escura. Enquanto o tecido fibroglandular aparece mais branco (denso). Dessa forma, é possível identificar o percentual de predominância do tecido fibroglandular, classificando a densidade das mamas.

Durante a palpação, a mulher com a mama densa pode ter a sensação de que seus seios estão com muitos nódulos. Entretanto, isso se refere à diferença entre o tecido fibroglandular e a gordura que, quando estão interpostos, dão essa falsa sensação.

Quais são os riscos para a sua saúde?

As mamas densas representam um fator de risco independente para o Câncer de Mama. A relevância desse risco pode ser até seis vezes maior, se compararmos mulheres com mamas predominantemente densas a mulheres com mamas lipossubstituídas – com predominância de gordura.

Além de se associar com maior risco de Câncer de Mama, a mama densa dificulta o diagnóstico de tumores pela mamografia, já que o nódulo também se apresenta denso no exame. É como tentar identificar um ponto branco em uma parede branca. Por esse motivo, mulheres com mamas densas apresentam falhas na mamografia com maior frequência, podendo mostrar nódulos mamários palpáveis em laudos normais de mamografia.

Um médico mastologista, ao identificar a mama densa, pode solicitar exames complementares, como a ultrassonografia mamária, para um diagnóstico assertivo. Além disso, para reduzir as falhas potenciais da mamografia, que são mais frequentes em mamas densas, é importante aliar um bom exame físico das mamas – a ser realizado pelo profissional.

Lembre-se que a mamografia é o exame mais importante para o diagnóstico do Câncer de Mama, devendo ser realizado após os 40 anos anualmente.

Leia também: 6 alimentos que ajudam a prevenir o Câncer de Mama

5 dicas para prevenir a mama densa

Embora a mama densa pareça ser um problema inevitável, alguns fatores envolvidos podem ser modificáveis, como o excesso de peso e o uso de algumas medicações hormonais. E, para lhe ajudar a reduzir o risco de desenvolver Câncer de Mama no futuro, separamos 5 dicas abaixo.

1. Conheça a saúde de seus antecedentes familiares: busque saber se sua mãe, avó, tia ou irmã tiveram Câncer de Mama, porque em caso positivo, é importante se submeter a uma avaliação especializada. Em situações especiais de risco familiar, é possível antecipar a idade para realizar a mamografia, fazer o rastreamento com ressonância magnética das mamas, ou ainda utilizar ferramentas de estudo genético para análise de risco.

2. Mantenha o peso adequado: é muito importante que você evite estar acima do peso, especialmente, quando chegar à menopausa.

Descubra seu peso ideal: Calcule seu IMC

3. Selecione os alimentos: opte sempre por consumir frutas e vegetais, evitando hábitos de tabagismo e consumo de bebidas alcoólicas.

4. Cuide bem do seu corpo: a atividade física é fundamental no dia a dia para reduzir o risco de Câncer de Mama. Tente praticar exercícios o máximo de dias possíveis em sua rotina.

5. Tenha sempre um acompanhamento adequado: a partir dos 40 anos, programe uma mamografia anual. Visite seu ginecologista/mastologista e, caso você tenha antecedentes familiares, como apontado anteriormente, marque consultas mais regulares com seu médico, para ter um melhor acompanhamento e garantir a prevenção.

Previna-se com a Unimed Fortaleza

Não restam dúvidas de que, para a saúde, o melhor remédio é a prevenção. Evitar o surgimento de doenças ou quaisquer outras anomalias é melhor do que tratá-las. Nesse caso, a primeira ajuda certa vem de alguém que entende: um médico especialista no assunto.

Para facilitar esse acesso, a Unimed Fortaleza dispõe do Aplicativo Minha Unimed. Ao baixá-lo, você pode acessar o Guia Médico Inteligente e escolher o profissional mais próximo para lhe atender. Além de ter acesso a várias outras utilidades do App. Baixe agora!

paciente ouvindo sua médica em uma consulta

Recomendamos para você

Esperamos que tenha gostado do artigo sobre Mama Densa e sua relação com o Câncer de Mama. Afinal, é um assunto que serve de alerta para todas as mulheres! Se você quer ficar mais por dentro do assunto, assista abaixo o vídeo que preparamos sobre prevenção do Câncer de Mama.

dra-heloisa-magalhaesConteúdo aprovado em parceria com a médica Dra. Heloisa Magalhães (CRM-CE 5967 – RQE 5967)
Doutorado em Oncologia pelo Hospital AC Camargo Cancer Center | Médica Mastologista com título de especialista pela Sociedade Brasileira de Mastologia | Residência médica em Mastologia pelo Instituto do Câncer do Ceará | Residência médica em Cirurgia Geral pelo Hospital Geral de Fortaleza – Escola de Saúde Pública | Graduação em medicina pela Universidade Federal do Ceará

Rodapé da página.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência de navegação, personalizar conteúdo e melhorar o desempenho do site. Ao continuar navegando, você concorda com nossa Política de Cookies e de Privacidade.