Cuidar de Você 17 de Dezembro de 2019

Como a pílula do dia seguinte age no organismo? Respondemos 11 dúvidas que toda mulher tem!


Você sabe para que serve a pílula do dia seguinte? Com o auxílio de uma médica ginecologista, descubra como usar o contraceptivo de emergência para evitar a gravidez e confira as respostas para as dúvidas mais comuns sobre o assunto.

Mulher segurando pílula do dia seguinte e um copo de água

A pílula do dia seguinte é um método contraceptivo de emergência, ou seja, é utilizado para evitar uma possível gravidez em casos de: esquecimento do anticoncepcional (principalmente se tiver ocorrido mais de uma vez na mesma cartela), relação sexual sem preservativo ou falha do preservativo e violência sexual.

Mas a médica ginecologista Dra. Rayanne Pinheiro faz um alerta: chamar o medicamento de emergência de pílula do dia seguinte pode causar um entendimento incorreto de que a mulher só deve fazer uso da medicação no dia seguinte a relação sexual desprotegida.

Contudo, a medicação ainda pode fazer efeito após 72 horas da relação sexual desprotegida, apesar de ter uma menor efetividade após 24 horas.

Como a pílula do dia seguinte funciona?

A medicação atua de várias formas para evitar a gravidez. Caso a mulher ainda não tenha ovulado, ela age para atrasar a ovulação e deixar o muco cervical mais espesso (secreção líquida que banha as trompas e o útero), dificultando que o espermatozoide consiga alcançar o óvulo.

A pílula também deixa a camada interna do útero, o endométrio, pouco receptiva para a gestação, além de agir alterando a motilidade dos espermatozoides, ou seja, diminuindo a capacidade dos espermatozoides de se moverem até o óvulo.

É importante ressaltar que o anticoncepcional de emergência não é abortivo, ele age para impedir a formação de um embrião, mas caso já exista uma gestação, a medicação não é capaz de interromper.

5 efeitos colaterais da pílula emergencial

  1. Diarreia;
  2. Náuseas;
  3. Vômitos;
  4. Irregularidade menstrual;
  5. Pequenos sangramentos.

11 dúvidas comuns sobre a pílula do dia seguinte

1 – Eu posso engravidar mesmo tomando a pílula?

Nas primeiras 24 horas, o índice de falha do contraceptivo de emergência é de 1%. O que significa que de 100 mulheres, de 1 a 3 podem engravidar tomando a pílula nas primeiras 24 horas. No entanto, se a medicação for ingerida após 24 horas, o risco de gravidez é de 2 a 3%.

2 – Quantas vezes posso utilizar o contraceptivo de emergência?

A Dra. Rayanne explica que não existe um limite de vezes para usar o medicamento, mas é importante não utilizar a forma emergencial de contracepção com frequência.

Na verdade, não existem estudos clínicos explicando quais seriam os danos para quem tomar o contraceptivo de emergência de forma consecutiva. Por isso, recomendamos evitar o uso frequente. Se for realmente necessário, pode-se tomar mais de uma vez, mas pode haver perda de eficácia”, alerta a ginecologista.

A melhor decisão é procurar um médico ginecologista e evitar a automedicação. O profissional é capaz de identificar, por meio do perfil de cada mulher, qual o método contraceptivo regular que mais se adequa, evitando o uso da pílula emergencial com frequência.

3 – Por quanto tempo estou protegida após usar a pílula?

A eficácia é de 99% para cada relação sexual desprotegida e de uso imediato. Não é recomendado fazer do contraceptivo de emergência um anticoncepcional regular.

4 – Qual a diferença do anticoncepcional e da pílula do dia seguinte?

A Dra. Rayanne explica que o anticoncepcional é um medicamento de uso diário e deve ser tomado regularmente. Já a pílula do dia seguinte contém doses de hormônio mais altas que o contraceptivo regular e deve ser usada apenas nos casos de emergência.

5 – Estou amamentando, posso tomar o medicamento emergencial?

Mulheres grávidas, ou em fase de amamentação, só devem tomar remédios com orientações médicas. Nesse momento, é importante evitar ao máximo qualquer tipo de medicamento para que ele não comprometa a saúde do bebê.

Entretanto, os anticoncepcionais específicos para as mulheres que estão amamentando possuem hormônios semelhantes aos encontrados na pílula de emergência. A ginecologista ainda ressalta que o risco de engravidar tomando os contraceptivos da lactação é mínimo.

Identifique os sintomas de gravidez semana a semana

6 – Como devo tomar o anticoncepcional depois de tomar a pílula do dia seguinte?

O ideal é esperar o próximo ciclo menstrual para dar início ao uso do contraceptivo regular. Para quem já faz uso do anticoncepcional regular ou do Dispositivo Intrauterino (DIU), que é um contraceptivo de longa duração, não há necessidade de tomar a pílula emergencial.

7 – Antibiótico pode diminuir a eficácia do medicamento?

Existem remédios que podem ter uma interação com o contraceptivo de emergência, mas isso não significa que eles irão diminuir a eficácia da pílula. Caso haja essa interação, o contraceptivo de emergência pode fazer com que o efeito do outro medicamento aumente ou diminua. Isso acontece, principalmente, com remédios de uso psiquiátricos e alguns tipos de antibiótico, que não são de uso corriqueiro.

8 – A pílula de emergência funciona no período fértil?

Sim. Independente do período que a mulher está, o contraceptivo tem um mecanismo para impedir a gravidez.

9 – Tem como saber se o medicamento funcionou?

Não é possível saber imediatamente se o contraceptivo de emergência foi eficaz. É necessário esperar o próximo ciclo menstrual ou, depois de 5 a 7 dias, realizar um exame de Beta HGC quantitativo para avaliar a possibilidade de gravidez.

Conheça 10 causas e 5 soluções para o ciclo menstrual irregular

10 – A pílula pode causar infertilidade?

Não existe nenhuma correlação de infertilidade com o uso da pílula de emergência. Saiba quais são os fatores que causam infertilidade nesse post.

11 – É melhor tomar a pílula de 1 ou de 2 comprimidos?

Não existe diferença de eficácia entre tomar uma única pílula ou tomar em duas doses. Mas, costumeiramente, é recomendado ingerir apenas a de uma dose, pois evita que a mulher esqueça a segunda dose do medicamento.

Conheça o seu corpo

Gostou do conteúdo e conseguiu tirar as suas dúvidas sobre a pílula do dia seguinte? Continue acompanhando a médica ginecologista, Dra. Rayanne Pinheiro, compartilhando seus principais aprendizados sobre a saúde e o corpo da mulher. Baixe gratuitamente o nosso Guia da Sexualidade Feminina e deixe para trás os tabus e conheça melhor o seu corpo e a sua intimidade!

Banner que leva ao Guia da Sexualidade Feminina

Foto da médica da Unimed Fortaleza, Dra. Rayanne Pinheiro

 

Conteúdo desenvolvido em parceria com a médica ginecologista e obstetra da Unimed Fortaleza, Dra. Rayanne Pinheiro | Especialista em sexologia clínica e humana

Rodapé da página.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência de navegação, personalizar conteúdo e melhorar o desempenho do site. Ao continuar navegando, você concorda com nossa Política de Cookies e de Privacidade.