Mamãe e Bebê 21 de Dezembro de 2015

Saiba mais sobre os tipos de parto


Conteúdo atualizado em: 01/02/2021

Dentre tantos esclarecimentos que uma gestante precisa ter durante sua gravidez, existe um tema essencial a ser falado: os riscos e as vantagens de cada tipo de parto. 

Mulher beijando a testa de recém nascido

A escolha do tipo de parto deve acontecer com o alinhamento das necessidades e desejos da gestante junto às instruções do médico que acompanha a sua gestação. Existem algumas formas de ter um bebê, podendo ser parto normal ou vaginal, natural ou cesárea.

Muitas vezes, antes mesmo dessa avaliação com o médico, podem existir muitas dúvidas para a gestante em relação a qual escolha fazer. Por isso, neste texto, vamos elencar algumas informações importantes sobre cada tipo de parto.

Parto Vaginal ou Normal

O parto vaginal,  também chamado de parto normal, é quando a gestante entra em trabalho de parto espontaneamente e é indicado a todas as gestações que não possuem contraindicações. Esse tipo de parto acontece geralmente entre a 37º e a 42º semana da gestação.

O primeiro indício de que o bebê está para nascer são as contrações e a perda – ou não – do líquido amniótico. Logo após esses sintomas, a mãe deve ir ao Hospital para receber acompanhamento médico do período de dilatação até o nascimento do bebê. Nesse parto, pode haver intervenções médicas, como indução com ocitocina sintética, anestesia ou analgesia.

Uma vantagem do parto vaginal ou normal é que a sua recuperação é mais rápida, sem maiores limitações ou incômodos decorrentes de uma cirurgia.

Parto Natural

Muito confundido com o parto normal, o parto natural se diferencia por não contar com intervenções médicas (somente em casos em que os riscos se apresentem à mãe ou ao feto se faz necessário) e acontecer totalmente de acordo com os comandos do corpo da mãe.

Nesse, a gestante tem participação ativa no momento do nascimento e não faz uso de anestesia. Além disso, seus defensores advogam que o parto natural pode ser realizado até em casa, mas deve ser acompanhado por uma equipe especializada, como obstetra, enfermeira, doula etc. A recuperação também é tranquila, sem dores ou limitações.

Parto Natural na Água

Este é um dos partos mais confortáveis tanto para a mãe quanto para o bebê. Isso porque a água proporciona à gestante um relaxamento muscular maior, o que ajuda na dilatação do colo do útero (contribuindo para ter uma sensação de bem-estar), além de colaborar para uma melhor irrigação sanguínea.

Os benefícios não são apenas para a mãe, mas também e principalmente para o bebê. Uma vez que o parto na água é menos traumático, porque o barulho externo é bem menor e há menos luz. No entanto, para realizar esse tipo de parto, é preciso escolher um Hospital cuja maternidade ofereça essa assistência e uma equipe médica especializada.

Conheça as salas de parto adequado da maternidade do Hospital Unimed

Parto Natural de Cócoras

Nesse tipo de parto, a gestante deve ficar agachada (posição de cócoras) no momento de nascimento do bebê. Geralmente, é um parto rápido, até mais do que os outros. E o que contribui para essa rapidez é a posição, que faz com que o músculo da pelve fique mais relaxado, e a gravidade.

Para esse parto ocorrer, o bebê precisa estar com a cabeça para baixo e deve pesar até, no máximo, 4kg. Já a mãe precisa estar com 10 centímetros de dilatação. Outros fatores que contribuem para o sucesso do parto natural de cócoras são o bom condicionamento físico da mãe e uma gravidez bastante saudável, sem complicações.

Parto Cesárea

O parto cesariano acontece por meio de procedimento cirúrgico e a mãe deve receber de seu médico todas as instruções sobre o parto e pós-parto.

Geralmente, a cesárea é indicada para gestantes que apresentam alguma contraindicaçãode parto vaginal, como certas doenças cardíacas, diabetes descompensado, líquido amniótico muito diminuído, fetos em condição de baixa oxigenação intraútero. Além de doenças, existem outras avaliações que precisam ser feitas para a recomendação de cesárea:

  • Se, no período de nascimento, o bebê estiver sentado ou atravessado;
  • Se já foi feita mais de uma cesárea anteriormente;
  • Quando o bebê é muito grande;
  • Quando não é possível uma indução e há uma indicação de resolução imediata da gravidez, dentre tantas outras situações que precisam ser avaliadas.

Por se tratar de uma cirurgia, a mãe deve fazer jejum antes do parto e os primeiros dias de seu pós-parto devem ter um repouso importante, com menos esforço possível. Mesmo sendo um procedimento cirúrgico, a mãe pode ficar acordada para receber o seu bebê nos braços após o nascimento.

É importante ressaltar que a mãe pode se valer do princípio da autonomia e escolher o tipo de parto que prefere. Mas é necessário que assine o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido informando qual o tipo de parto que deseja.

Projeto Parto Adequado na Unimed Fortaleza

A Unimed Fortaleza faz parte de um grupo de operadoras que apoiam o Projeto Parto Adequado, que visa aprimorar modelos de cuidado que valorizem o parto vaginal e natural. O principal objetivo é reduzir o percentual de cesarianas desnecessárias, contribuindo para maior qualidade na saúde da mãe e do bebê, além de promover uma experiência de parto mais humanizada.

Clique aqui para saber mais sobre o Projeto Parto Adequado!

Deseja saber mais sobre cada um desses tipos de parto? Confira no vídeo abaixo o depoimento do Dr. Luís Carlos Weyne e sua paciente, Patrícia Sampaio, sobre o Parto Adequado.

Kit para Mamães de Primeira Viagem

Pensando em todas as dúvidas que podem surgir durante a gestação, preparamos um material exclusivo e gratuito para nossos leitores. Baixe o Kit para Mamães de Primeira Viagem e confira o que levar para a maternidade, como se alimentar durante a gravidez, como lidar com os primeiros dias do bebê em casa e muitas outras informações essenciais no pré e pós-parto!

dr-marcio-alcantara

 

Conteúdo desenvolvido em parceria com o médico ginecologista e obstetra da Unimed Fortaleza, Dr. Márcio Alcântara (CRM ? 5861 CE) 

Rodapé da página.